Cobertura da Mídia

FT é premiada por Excelência em Tecnologia de Turbinas Eólicas

AI Offshore Excellence Awards Magazine

24th April, 2015

 

Baixe o artigo complete. (pdf)

A FT Technologies é especialista no desenvolvimento e fornecimento de sensores de fluxo de ar por ressonância acústica de alto desempenho para turbinas eólicas e aplicações meteorológicas. Eles nos contaram sobre as complexidades de seus produtos e das oportunidades e desafios que enfrentam em seu setor.

Estamos muito satisfeitos por receber esse prêmio, pois acreditamos que é o reconhecimento de 10 anos de trabalho duro e êxito desenvolvendo o sensor de vento mais resistente do mundo. Nossos sensores ultrassônicos de vento são pequenos, robustos e confiáveis, operando nos ambientes mais complicados sem deixar de fornecer altos níveis de disponibilidade de dados de modo consistente durante anos. Sem dúvida alguma somos líder de mercado no setor de energia eólica offshore, pois mais de 70% de todas as turbinas offshore do mundo são equipadas com um sensor FT.

Nossa empresa foi fundada há 35 anos, mas nos últimos 12 anos temos nos concentrado no desenvolvimento de sensores de vento para o controle de turbinas eólicas de grande escala. Realizamos todo o nosso desenvolvimento e fabricação no Reino Unido em nossa fábrica na região oeste de Londres, e estamos particularmente orgulhosos do fato de que 99% de nossos produtos são exportados. Nosso êxito ao longo da década nos permitiu triplicar de tamanho. Temos atualmente mais de 55 funcionários e estamos em busca de novas e maiores instalações.

A chave do nosso êxito é a confiabilidade de nossos produtos. Nossos clientes demandam níveis elevados de desempenho e disponibilização de dados em um sensor que não exija calibragem ou manutenção periódica. Nossos sensores são basicamente computadores e quando estão no topo de uma turbina eólica, eles ficam sem serviço e mesmo assim tem que fornecer uma medição precisa, cinco vezes por segundo, por anos a fio. A vida atrás de uma turbina eólica é bastante complicada e o sensor de vento tem que sobreviver a 300 pés no ar no meio do Mar do Norte ou em uma tempestade de neve no Kansas, e tem que se manter funcionando.

O que torna os sensores de vento da FT exclusivos é o nosso uso de Tecnologia de Ressonância Acústica. Inventada pelo nosso Diretor Executivo Dr Savvas Kapartis e patenteada em 1997, a Acu-Res® é uma tecnologia de estado sólido (sem peças móveis) para medir a velocidade e a direção do vento. Ela utiliza uma onda acústica (ultrassônica) que é ressoada no interior de uma pequena cavidade. A utilização da tecnologia Acu-Res® resulta em um sensor pequeno e de fácil aquecimento que opera de maneira confiável, mesmo sob condições meteorológicas extremas.

Nossa última novidade é que estamos prestes a lançar uma nova linha de produtos, a série FT7. Em resposta à demanda de nossos clientes, esses novos sensores apresentam uma maior faixa de velocidades do vento, lendo até 75 metros por segundo, além de maior precisão.

Com esses aprimoramentos técnicos, a série de produtos FT7 nos possibilitará o acesso a novos mercados, especificamente em sistemas de clima e meteorologia em geral no oceano. Há diversas boias implantadas em todo o mundo para capturar dados do vento, e nossos sensores, por serem resistentes à corrosão, são adequados de maneira ideal para essa aplicação. A Rolls Royce já utiliza nossos sensores em navegação marítima. Há sensores FT no topo de alguns dos edifícios mais altos do mundo, em estações meteorológicas portáteis utilizadas para perseguir furacões e ao longo da pista de testes do trem Maglev no Japão. Os sensores da FT foram escolhidos pela Equipe de Engenharia da Bloodhound SSC como as ideais para o uso no ambiente empoeirado de Hakskeenpan na África do Sul, onde o Carro Supersônico Bloodhound tentará quebrar o recorde mundial de velocidade no solo e atingir 1,000mph em 2016.

Com nossos novos produtos chegando ao mercado, estamos pensando também em expandir para novas geografias. O Brasil, por exemplo, vem desenvolvendo com força a energia eólica. Nosso sensor tem vantagem lá por ser resistente a chuvas pesadas, raios e sal na atmosfera, o que é um grande problema nas localidades costeiras do Brasil.

Da mesma forma, acreditamos que possa haver aplicações na África do Sul, onde ambientes secos e empoeirados são muito nocivos a sensores de vento mecânicos. A série FT7, com sua alta resistência a poeira, areia e radiação solar, fornecerá excelentes medições de velocidade e direção do vento nesses ambientes mais difíceis.

Ao longo dos últimos 10-12 anos a indústria de energia eólica cresceu significativamente, tanto em volume quanto em tamanho das turbinas eólicas individuais. Quando começamos a fabricar, as turbinas eólicas normalmente eram de 700 ou 800 kW. Hoje normalmente são de 2 ou 3 MW em solo e até 7 ou 8 MW offshore.

A indústria eólica cresceu, e também mudou dramaticamente. Considerando que ela era essencialmente uma indústria centro-europeia e norte-americana, atualmente a posição é de que 45-50% de todas as turbinas eólicas do mundo estejam instaladas na China. Além disso, a energia eólica alcançou agora a paridade de rede, o que significa que se tornou uma fonte de energia competitiva. Em partes dos Estados Unidos e da Europa, é atualmente tão barato produzir energia eólica quanto produzir de combustíveis fósseis. De fato, em muitos lugares pelo mundo a energia eólica é a escolha mais popular entre novas instalações de energia.

O futuro para a energia eólica e para a FT é promissor. Os Estados Unidos se comprometeram a gerar 35% de sua energia a partir do vento até 2050. Atualmente apenas 4% vem do vento. A China está instalando 10 mil turbinas eólicas a cada ano. As turbinas eólicas estão ficando maiores, por isso os fabricantes estão cada vez mais exigindo um sensor de vento de qualidade que irá minimizar interrupções e manter suas turbinas funcionando. Se você ainda não sabe, em nossa indústria, vento é dinheiro.

Fazer uma pergunta Solicite um orçamento Converse com um especialista